A primeira-dama do Peru, Nadine Heredia Alarcón, visitou nesta quarta-feira (10/4) a Fiocruz, sendo recebida pelo presidente em exercício da Fundação, Pedro Barbosa. A visita deu continuidade à missão peruana que esteve na instituição em dezembro, e que deu início a um trabalho de prospecção de parcerias entre a Fiocruz e o país vizinho. O Peru, que não conta com um sistema de saúde como o SUS, tem interesses na produção de medicamentos, no programa Farmácia Popular do Brasil (administrado pela Fiocruz) e na formação de quadros para a governança em saúde (especialização em gestão de sistemas e serviços de saúde). A primeira-dama afirmou que um dos objetivos da vinda à Fiocruz é “reforçar a cooperação Sul-Sul e levar para o Peru a experiência, os conceitos e os êxitos do sistema de saúde brasileiro”.

Em sua apresentação, o presidente em exercício Pedro Barbosa listou as principais linhas de atuação da Fiocruz, os projetos de maior relevo, a expansão das parcerias internacionais e a instalação de novas unidades no país. Ele lembrou que já existe uma unidade próxima ao Peru (instalada em Manaus), que já desenvolve projetos com outros países amazônicos, e em breve será inaugurada uma outra ainda mais perto da nação vizinha, em Porto Velho. Segundo a primeira-dama, o Peru está buscando essa parceria porque o país precisa se desenvolver e deixar para trás a desigualdade sócio-econômica, que se reflete nas condições de saúde da população, que ainda é muito pobre. “Necessitamos, por exemplo, de um programa como o Saúde da Família, em que poderemos levar médicos e outros profissionais de saúde aos mais pobres, sobretudo no interior do Peru. E temos que investir e valorizar a atenção básica”.

Nadine demonstrou grande interesse em saber mais sobre o SUS, pois ela defende a reforma do atual sistema de saúde peruano, que não alcança a toda a população. Ela também pediu mais informações sobre a produção de medicamentos na Fiocruz e quis saber como se daria um processo de transferência de tecnologia. O coordenador do Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris/Fiocruz), Paulo Buss, explicou à primeira-dama o processo histórico que levou à criação do SUS, em 1988, e discorreu sobre os medicamentos fabricados pela Fundação. Ao final da reunião, a primeira-dama percorreu o Castelo da Fiocruz. Ela estava acompanhada do embaixador peruano no Brasil, Jorge Bayona Medina, e do cônsul-geral no Rio de Janeiro, Rolando Ruiz Rosas. Nadine, de 36 anos, é casada com o presidente do Peru, Ollanta Humala. Doutora em ciência política, tem mestrado em sociologia e graduou-se em ciências da comunicação. Ela é co-fundadora e membro do Partido Nacionalista Peruano.