A Fiocruz e o Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS) assinaram, nesta terça-feira, 17 de abril, a renovação do convênio do Laboratório Internacional Associado em Imunologia e Imunopatologia (LIA – IMUNO) por mais quatro anos. Trata-se de um laboratório virtual que tem, entre outros objetivos, estudar os mecanismos envolvidos na migração de leucócitos em organismos em condições saudáveis e patológicas.

O LIA – IMUNO foi criado em 2007, financiado pela cooperação entre Fiocruz e o CNRS, maior centro de pesquisa da França. Essa cooperação prevê, além do laboratório, a troca de informações e literatura científica através do intercâmbio de publicações e periódicos científicos, a organização de conferências bilaterais e seminários, integração de pesquisas, dentre outras iniciativas.

Estiveram presentes no evento o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, o coordenador do Centro de Relações Internacionais em Saúde (CRIS), Paulo Buss, o coordenador do LIA no Brasil, Wilson Savino, o diretor do Instituto de Ciências Biológicas da França (INSB/CNRS), Patrick Netter, o representante do CNRS no Brasil, Jean-Pierre Briot, o assessor científico internacional do INSB/CNRS, Franc Pattus, e demais membros da delegação francesa.